Encontros
Todos os sábados as 18:30 Comunidade Santa Clara de Assis
Siga-nos
RSSTwitterFacebook
Facebook

‘trajes litúrgicos’

PostHeaderIcon A diginidade do homem e da mulher (ICor 11,2-16)

1 – Leia o texto

2 Eu vos felicito por vos lembrardes de mim em toda ocasião e conservardes as tradições tais como eu vo-las transmiti. 3 Quero, no entanto, que saibais o seguinte: a cabeça de todo homem é o Cristo; a cabeça da mulher é o homem; a cabeça do Cristo é Deus. 4 Todo homem que reza ou profetiza de cabeça coberta desonra a sua cabeça. 5 Mas toda mulher que reza ou profetiza de cabeça descoberta desonra a sua cabeça, pois é exatamente como se estivesse de cabeça raspada. 6 Se a mulher não usa véu, mande raspar a cabeça! Mas se é uma vergonha para uma mulher ter o cabelo cortado ou raspado, que use um véu! 7 Quanto ao homem, não deve pôr véu na cabeça: ele é a imagem e a glória de Deus; mas a mulher é a glória do homem. 8 Pois não é o homem que foi tirado da mulher, mas a mulher do homem. 9 E o homem não foi criado para a mulher, mas a mulher, para o homem. 10 Eis por que a mulher deve trazer sobre a cabeça uma marca de autoridade, por causa dos anjos. 11 No entanto, a mulher é inseparável do homem e o homem da mulher, diante do Senhor. 12 Pois se a mulher foi tirada do homem, o homem nasce da mulher e tudo vem de Deus. 13 Julgai por vós mesmos: porventura é conveniente que uma mulher ore a Deus sem usar véu? 14 A própria natureza não vos ensina porventura que é indecoroso para o homem usar cabelos compridos? 15 Ao passo que é uma glória para a mulher, pois a cabeleira lhe foi dada à maneira de véu. 16 E se alguém se apraz em contestar, nós não temos esse costume, como tampouco as Igrejas de Deus.Primeira Epístola aos Coríntios 11,2-16

2 – Assista a explicação sobre o texto

3 – Mais informações

Entramos numa outra perspectiva da carta. Paulo fica sabendo de algumas irregularidades nas celebrações da comunidade e o primeiro tópico tratado por ele sobre este tema está relacionado as vestes na liturgia. Este texto deve ser lido com o livro do Gênesis como pano de fundo.

O apóstolo começa por reforçar a autoridade de seus ensinamentos (11,2). E lança mão de uma estrutura hierárquica para mostrar que tudo procede de Deus, usando a imagem da cabeça, fazendo ainda referência indireta ao livro do Gênesis (11,3). Ainda que esse trecho pareça, para alguns, ligado a subordinação da mulher ao homem, os versículos seguintes mostram que não. Neles vemos homem e mulher desempenhando as mesmas funções litúrgicas. Mas, ao mesmo tempo, esses versículos deixam clara a diferenciação natural entre homem e mulher desde o início da criação (11,4-6).

A ênfase está nos trajes litúrgicos. O homem sendo imagem da glória de Deus não deve rezar com a cabeça coberta para não esconder a glória de Deus (11,7). No caso das mulheres, elas devem cobrir a cabeça para que não pareçam disponíveis, pois devem estar submissas a autoridade divina por intermédio de seus maridos como na ordem em que foram criados por Deus (11,8-9).

Se nessa primeira parte ainda pareça que Paulo é machista, apesar do texto não mostrar isso e sim fazer uso da dinâmica da criação no Gênesis, a segunda parte mostra, justamente, que homem e mulher não existem um sem o outro e que o homem também procede da mulher (11,11-12).

4 – Como aplicar o texto na vida

- Se homem, trato as mulheres com o devido respeito, de acordo com a diginidade que Deus mesmo as concedeu?

- Se mulher, trato os homens com o devido respeito, de acordo com a diginidade que Deus mesmo os concedeu?

- Desenvolvo, de acordo com os planos de Deus, minha masculinidade/feminilidade?

5 – Comente, participe através da área abaixo

Pesquisar no Site
Parceiros
  • Bíblia Católica Online
  • Canção Nova
  • Cds Cristãos Downloads
  • JÁ
  • Jovens Conectados
  • Jovens Revolucionários